1 min de leitura

Deus, o Libertador

Já aceitamos a dádiva da liberdade? Estamos felizes com ela? Ou ainda permanecemos submissos e escravizados?


Os israelitas gemiam e clamavam debaixo da escravidão; e o seu clamor subiu até Deus.” (Êxodo 2.23b)

Por que as lágrimas? Por que o sofrimento?
Por que os esforços? Esse peso, por quê?
Nós somos afligidos. Somos abatidos.
O coração fraqueja. Estamos a morrer.

Lembramos de tempos mais felizes.
A vida era bela e vivíamos livres.
Mas isso é passado. Estamos aprisionados.
Quase consumidos, somos atormentados.

Quem livrará da escravidão e das correntes?
Quem nos vê sofrendo em terra inimiga?
Quem ouve o clamor? Quem nos livrará?
Quem, com mão forte, ao lar nos levará?

Ó Deus de nossos pais, clamamos a ti:
Envie o Salvador para livrar-nos aqui!

Longes do lar. Aprisionados em terra estranha. Barbaramente subjugados por um povo inimigo. Atormentados com trabalhos injustos e pesados. Essa era a situação dos israelitas na época de Moisés, no Egito.

Longe do Senhor. Aprisionada pelas correntes do pecado. Subjugada terrivelmente por Satanás. Sobrecarregada com os fardos da culpa e da injustiça. Esta é a situação da pessoa que não conhece a Deus ou não quer conhecê-lo.

No entanto, graças a Deus, ele enviou o libertador para conduzir os israelitas desde a escravidão para a liberdade: Moisés. Ele também enviou o Libertador que resgata os cativos de Satanás das correntes do pecado e que estão longe de Deus: Jesus Cristo.

Já aceitamos essa dádiva da liberdade? Estamos felizes com ela? Ou ainda permanecemos submissos e escravizados?

Ó Senhor, ajude! Ó Senhor, liberta-nos! Queremos pertencer e servir somente a ti! Amém.

Lothar Gassmann

 

Confira