1 min de leitura

Sábado, 11 De Janeiro

Não era um inimigo que me afrontava; então eu o teria suportado… Mas eras tu, homem meu igual, meu guia e meu íntimo amigo. (Salmo 55:12-13)

Meditações Sobre O Livro Dos Salmos (Leia Salmo 55:12-23)


Provavelmente, a pessoa à qual Davi se refere nos versículos 12 a 14 é Aitofel, o gilonita, cuja traição e suicídio estão registrados em 2 Samuel 15 a 17. Aitofel é considerado o Judas do Antigo Testamento e, portanto, tais palavras também se aplicam profeticamente a Judas, traidor do Senhor Jesus. Que expressões fortes para descrever os laços de afeição de Davi para com Aitofel: “homem meu igual, meu companheiro e meu íntimo amigo”! Aqui temos uma prova cabal de que nem as maiores demonstrações de confiança e amor são capazes de conquistar o coração humano, no qual existe uma guerra incessante contra Deus (v. 21; Marcos 14:45). Paremos um pouco e pensemos no coração do Senhor Jesus. Ele não Se confiava a ninguém (João 2:24). Mas ver Judas cometendo tal traição, servindo de instrumento para Satanás (Lucas 22:3), O comoveu profundamente. No entanto, ainda que perturbados, se nos entregarmos ao Senhor, Ele não permitirá que sejamos esmagados pelo peso das feridas do nosso coração. Um peso é algo que atrapalha ou impossibilita nossa caminhada; esta é a razão pela qual Hebreus 12:1 nos exorta: “desembaraçando-nos de todo peso, e do pecado que tenazmente nos assedia, corramos com perseverança a carreira que nos está proposta”. Isso não significa que a provação será retirada de nós, mas deixará de ser um peso a partir do momento em que lançarmos nossas preocupações e dores ao pé da cruz de Cristo, permitindo que Seu amor nos trate e Sua provisão nos sacie.

 

Realizamos a obra com poucos recursos e precisamos do seu apoio para mantê-lo e expandi-lo. Ajude-nos a alcançar mais pessoas com a Palavra de Deus!

Faça uma doação para o Ministério Chamada

Extraído do livro devocional Boa Semente 2020, publicado pelo DLC.

Confira