1 min de leitura

A ligação entre a igreja e Israel

A diferença entre a igreja cristã e Israel, o antigo povo da aliança, é observada no seguinte: o chamado de Israel é terreno, o chamado da igreja é celestial.


Vocês, porém, são geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo exclusivo de Deus, para anunciar as grandezas daquele que os chamou das trevas para a sua maravilhosa luz. Antes vocês nem sequer eram povo, mas agora são povo de Deus; não haviam recebido misericórdia, mas agora a receberam.” (1Pedro 2.9-10)

A igreja cristã é o povo de Deus. Essa figura, com as outras inúmeras figuras adotadas (templo, cidade de Deus, sacerdócio, geração eleita, doze tribos etc.), expressa a histórica ligação com o Antigo Testamento, com Israel. Enquanto no episódio do Sinai (Êxodo 19) todo o Israel ainda era considerado como o povo de Deus, posteriormente essa designação foi transferida para a parte remanescente do povo que havia permanecido fiel a Deus (Isaías 1.9; 10.22). Essa ideia do remanescente, por sua vez, teve sua realização na igreja do Novo Testamento, a qual, sendo a “geração eleita”, o “sacerdócio real” por meio do perdão de Jesus Cristo, representa o novo povo de Deus.

A diferença entre a igreja cristã e Israel, o antigo povo da aliança, é observada no seguinte: o chamado de Israel é terreno, o chamado da igreja é celestial (Filipenses 3.20); Israel adora a Deus no templo, a igreja ora a ele em espírito (Levítico 17.8-9; João 4.24); Israel aguarda sua restauração na Terra Prometida, a igreja estará para sempre com o Senhor (Deuteronômio 30.4-5; 1Tessalonicenses 4.17). Todavia, há uma continuidade (uma ligação) entre Israel e a igreja porque muitos judeus creem em Jesus como o Messias e a igreja é composta tanto de judeus convertidos quanto de gentios convertidos (Efésios 2.11-22). Por isso, não separemos o povo de Deus do Antigo e do Novo Testamentos, mas oremos para a salvação definitiva de Israel.

Lothar Gassmann

 

Confira