1 min de leitura

Quarta Feira, 22 De Janeiro

O Senhor... é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se. (2 Pedro 3:9)

A Porta Do Palácio


Uma criança de cinco anos fez a seguinte oração antes de deitar-se: ‘Senhor Jesus, eu te amo; por favor, não feches a porta do teu palácio rapidamente, para que meu avozinho também possa entrar’. A oração inocente dessa menina nos faz lembrar de uma grande verdade: hoje a porta do céu está aberta, mas não estará para sempre. Ela se abriu amplamente quando o Senhor Jesus Cristo pagou na cruz o castigo que todos os nossos pecados mereciam (Mateus 20:28). A paciência de Deus faz com que a mesma esteja aberta ainda hoje, porque Ele “quer que todos os homens sejam salvos, e venham ao conhecimento da verdade” (1 Timóteo 2:4). Mas um dia essa paciência chegará ao seu fim. 

Essa menina compreendeu isso e se preocupava com seu avô, o qual, ainda não havia entendido a necessidade que tinha do Salvador. Talvez você não sinta que está perdido devido aos seus pecados. A palavra “pecado”, muitas vezes, soa mal em nossas consciências, que são tão lentas para se examinarem.

Quem sabe esse avozinho é um “homem honesto”: rebaixar-se para reconhecer sua indignidade diante de um Deus santo é humilhante. É difícil crer que nossos pecados nos separam de Deus. E que nossos esforços e méritos não tenham nenhum poder para nos aproximar do Senhor.

Quem sabe algum dos nossos leitores seja hoje o objeto da oração constante de um dos seus familiares, mas antes de tudo é o objeto do amor e da paciência do Senhor Jesus Cristo. As mãos dEle também foram cravadas por você. 

 

Extraído do livro devocional Boa Semente 2020, publicado pelo DLC.

Confira