1 min de leitura

Quarta Feira, 08 De Abril

Não convinha que o Cristo padecesse estas coisas e entrasse na sua glória? (Lucas 24:26)

Era Conveniente


Às vezes é difícil compreender e admitir que o Senhor Jesus Cristo tivesse que passar pela cruz para que fôssemos salvos. 

Ele havia anunciado de antemão a Seus discípulos o que devia Lhe acontecer: “Importa, porém, caminhar hoje, e amanhã, e no dia seguinte, para que não suceda que morra um profeta fora de Jerusalém”, dizia com determinação enquanto andava fazendo o bem para todos; e Ele sabia quando seria preso (Lucas 13:33). Ele declarou “que convinha ir a Jerusalém, e padecer muitas coisas dos anciãos, e dos principais sacerdotes, e dos escribas, e ser morto, e ressuscitar ao terceiro dia” (Mateus 16:21). Eles não entenderam imediatamente o que isto queria dizer, mas se lembraram desse “convém” diante do túmulo vazio, três dias depois da morte do Senhor Jesus, quando Ele já havia ressuscitado (Lucas 24:6-9). Eles puderam verificar a exatidão de cada uma de Suas palavras. Eles O viram ressuscitado e vivo.

Então o Senhor Jesus lembrou-lhes que convinha que as profecias do Antigo Testamento acerca dEle se cumprissem, e que o arrependimento e o perdão dos pecados fossem anunciados ao mundo inteiro em Seu nome (Lucas 24:46-47). O pecador devia ser castigado, mas convinha que o Senhor Jesus tomasse o seu lugar.

Com essa condição, Deus oferece um pleno e perfeito perdão para aquele que se arrepende. Ele já não se lembra mais dos nossos pecados (Isaías 43:25), e então, nos considera como perfeitamente justos e dignos de sermos felizes em Sua companhia para sempre. Com certeza trata-se de um tema de gratidão e de assombro diário. 

 

Realizamos a obra com poucos recursos e precisamos do seu apoio para mantê-lo e expandi-lo. Ajude-nos a alcançar mais pessoas com a Palavra de Deus!

Faça uma doação para o Ministério Chamada

Extraído do livro devocional Boa Semente 2020, publicado pelo DLC.

Confira