1 min de leitura

18 de Agosto

"Então Eliseu lhe mandou um mensageiro, dizendo: Vai, lava-te sete vezes no Jordão, e a tua carne será restaurada, e ficarás limpo. Naamã, porém, muito se indignou, e se foi..." 2 Reis 5.10-11

O Jordão é um rio estranho e maravilhoso. O leproso recebe ordens de se lavar nesse rio. Só ali ele pode ser curado da sua lepra. Mas a pessoa comum se opõe a isso, pois o Jordão é uma representação de Jesus Cristo, o próprio crucificado. Jesus, Aquele que veio do Pai, Aquele que não tinha pecado, desceu e se esvaziou a si mesmo e se tornou um rio purificador para todos aqueles que querem se lavar nele. O nome Jordão significa "descer". Nisso consiste o esvaziamento de Jesus. Pois Ele também desceu e se humilhou. Mas por meio desse ato de se esvaziar a si mesmo, de descer, se abriu uma torrente que flui em toda a eternidade. Se você seguir a Jesus neste Jordão, se identificar com Jesus na Sua morte, você também estará descendo: Ele diz: "Se alguém me serve, siga-me..." Aí acontecerá com você o mesmo que acontece com o Jordão, cuja água nunca seca. Aquele que segue o caminho do Cordeiro, desce; sua natureza é cada vez mais esvaziada. Mas justamente por causa disso, segundo as Escrituras, uma pessoa assim é "...um jardim regado, e como um manancial, cujas águas jamais faltam".

Wim Malgo

 

Confira